Como os aluguéis se comportaram em cada região de SP

1. Variação equilibrada
zoom_out_map
1/10 (Germano Lüders/EXAME.com) São Paulo – De julho de 2011 a julho de 2012, os preços dos aluguéis em São Paulo tiveram alta de 11,87%, segundo o Secovi-SP – a menor variação desde outubro de 2010, quando o acumulado dos 12 meses registrou alta de 11,77%. Parte dos bairros da zona leste, que ficam na região classificada pelo Secovi como grupo B (bairros do extremo leste, como Itaim Paulista, Itaquera e Penha), tiveram o maior aumento de preços no período, uma alta de 19,8%.  Cícero Yagi, consultor de locação do Secovi-SP, avalia que depois de um crescimento mais acentuado de 2007 a 2010, que acompanhou o aquecimento da economia, os preços voltaram a se equilibrar no último ano. “Os preços dos aluguéis quase chegaram a 18% entre 2007 e 2010. Agora o mercado está se adequando porque o crescimento da economia e da renda está se equilibrando também”, explica. Mesmo com um ritmo menor, os preços continuam a subir, segundo Yagi, porque moradores de outras regiões do estado têm se mudado para a cidade. E, além disso, com o aumento da renda, aumenta a busca por mais qualidade de vida. “Muita gente começou a procurar imóveis para alugar em locais mais próximos ao emprego”, diz. A pesquisa do Secovi é baseada nos valores de locação informados por 120 empresas que atuam no ramo imobiliário na cidade. Os resultados são divididos por zonas (oeste, leste, norte e sul) e por grupos de bairros (A e B). Clique nas fotos acima e veja qual foi a variação de preços e o que influenciou o resultado em cada localidade. 

2. Zona Leste – Grupo B
zoom_out_map
2/10 (Raphael Igor/Wikimedia Commons) Variação de preços: 19,8% Bairros que compõem o grupo: Artur Alvim, Brás, Cangaíba, Ermelino Matarazzo, Itaim Paulista, Itaquera, Jardim Aricanduva, Penha, São Mateus, São Miguel Paulista, Sapopemba, Vila Carrão, Vila Formosa, Vila Matilde, Vila Prudente. Preço médio do aluguel do metro quadrado em julho de 2012: R$ 13,30 Segundo Cícero Yagi, os bairros do Grupo B da zona leste tiveram o maior aumento de preços da cidade por dois motivos principais: pelos novos investimentos na região, puxados pelo fato do estádio Itaquerão ter sido escolhido para a abertura da Copa de 2014; e por conta do valor do preço do metro quadrado, que é um dos mais acessíveis da cidade e tem atraído moradores que não podem pagar os aluguéis de bairros nobres.  “Estamos passando por um processo de readequação da cidade, os preços começaram a aumentar a partir das regiões mais nobres e agora o aumento está se disseminando. Os bairros com preços mais baixos começam a ter mais demanda e isso gera uma pressão nos preços. Além disso, com o desenvolvimento de alguns projetos e do metrô ocorre uma verticalização e concentração de serviços na região”, diz. 

3. Zona Oeste – Grupo A
zoom_out_map
3/10 (Germano Lüders/EXAME.com) Variação de preços: 17,5% Bairros que compõem o grupo: Alto da Lapa, Alto de Pinheiros, Lapa, Perdizes, Pinheiros, Pompéia, Sumaré, Vila Leopoldina, Vila Madalena. Preço médio do aluguel do metro quadrado em julho de 2012: R$ 26,18 “Essa região é bastante tradicional. São bairros voltados à classe média e à classe média alta, muito influenciados pelo bairro de Perdizes, que tem pouco espaço para novos empreendimentos”, explica Yagi. A saturação em Perdizes pressiona a inflação dos preços do aluguel no bairro e impulsiona novos investimentos em outros bairros da região. “Muitos empreendimentos têm sido lançados no bairro da Vila Leopoldina, por exemplo, que há 10 anos não era muito conhecido. Estes novos lançamentos, que são de alto padrão, também têm levado a uma valorização dos preços”, completa.  O consultor do Secovi acrescenta ainda que a região é muito valorizada por abrigar empresas de logística, indústrias e por ser pólo cultural do setor cinematográfico na cidade. 

4. Zona Sul – Grupo B
zoom_out_map
4/10 (Quatro Rodas/ Marco de Bari) Variação de preços: 16,5% Bairros que compõem o grupo: Campo Limpo, Cidade Ademar, Interlagos, Ipiranga, Moinho Velho, Pedreira, Sacomã, São João Clímaco, Vila das Mercês, Vila Gumercindo. Preço médio do aluguel do metro quadrado em julho de 2012: R$ 16,65 Assim como o grupo B da zona leste, o grupo B da zona sul representa os bairros do extremo da zona sul, que possuem os valores mais baixos da região. “Com esse grupo ocorre o mesmo fator dos bairros do extremo leste: os aluguéis são mais baratos e muito buscados por quem vem de outra cidade e não pode morar em bairros mais nobres”, explica o consultor de locação do Secovi. Ele comenta também que os preços na região estavam defasados, por isso, é natural que tenha ocorrido uma readequação de valores no último ano. 

5. Zona Sul – Grupo A
zoom_out_map
5/10 (VEJA SÃO PAULO) Variação de preços: 15,3% Bairros que compõem o grupo: Aclimação, Bosque da Saúde, Chácara Santo Antônio, Higienópolis, Itaim, Jardim da Saúde, Jardins, Moema, Morumbi, Paraíso, Real Parque, Saúde, Vila Mariana, Vila Olímpia. Preço médio do aluguel do metro quadrado em julho de 2012: R$ 29,53 O grupo corresponde à região mais nobre da cidade e tem o maior valor médio do aluguel do metro quadrado, avaliado em 29,53 reais. Segundo Yagi, a variação de preços na região ainda é alta, mas já ocorre em um ritmo menor do que há dois anos. “Os preços já estão chegando ao limite da compatibilidade com a renda da população. O mercado imobiliário está se reequilibrando, refletindo o aumento mais fraco do PIB e da produtividade do país. Os preços dos aluguéis na região vão continuar aumentando, mas não 20% ou 25% ao ano, como em 2008, 2009 e 2010”, avalia o consultor.

6. Zona Oeste – Grupo B
zoom_out_map
6/10 (Hector.carvalho via Wikimedia Commons) Variação dos preços: 11,5% Bairros que compõem o grupo: Butantã, Jaguaré, Perus, Pirituba. Preço médio do metro quadrado do aluguel em julho de 2012: R$ 15,56 Yagi avalia que a região está se desenvolvendo, mas não apresenta forte valorização porque ainda tem uma estrutura menos “dinâmica” que outras regiões. “A região tem influências como a cidade universitária, que atrai moradias para pessoas que trabalham e estudam lá e é um polo irradiador de comércio e serviços. O Jardim Bonfliglioli (bairro do distrito do Butantã), por exemplo, tem recebido novos empreendimentos. Mas o aumento dos preços é um pouco mais modesto porque, apesar das melhorias, essa parte da cidade ainda não tem tanto dinamismo em matéria de transporte e infraestrutura”.

7. Zona Norte
zoom_out_map
7/10 (Quatro Rodas/ Rafael Cusato) Variação de preços: 8% Bairros: Brasilândia, Casa Verde, Freguesia do Ó, Limão, Mandaqui, Pq Edu Chaves, Santana, Tremembé, Tucuruvi, Vila Guilherme, Vila Mazzei, Vila Nova Cachoeirinha. Preço médio do aluguel do metro quadrado em julho de 2012: R$16,80 A zona norte é uma das regiões mais tradicionais de São Paulo. Segundo o consultor de locação do Secovi, as famílias que moram na região dificilmente mudam de bairro e são famílias de menos de três pessoas, por isso o mercado imobiliário não é tão atuante nestes bairros. Para ele, além da baixa movimentação entre os moradores da região, muitas pessoas que buscam a primeira moradia na cidade acabam preferindo os bairros do grupo B das zona leste e sul. “Na zona norte os imóveis não são tão baratos quanto no extremo leste e sul, então quem procura aluguéis mais baixos prefere estas regiões por causa do preço de moradia mais adequado”, pondera. 

8. Centro
zoom_out_map
8/10 (Fabiano Accosi/Veja/VEJA) Variação de preço: 7,3% Bairros: Barra Funda, Bom Retiro, Cambuci, Centro, Liberdade, Pari, Santa Cecília. Preço médio do metro quadrado do aluguel em julho de 2012: R$ 22,14 Os projetos de revitalização da região central da cidade, como a operação Centro Legal, que combate o tráfico na área conhecida como “Cracolândia”, têm sinalizado uma melhoria na qualidade de vida do Centro, segundo Cícero Yagi. “Nesse período a região não teve grande elevação no preço do aluguel, mas nos anos anteriores houve bons aumentos, de cerca de 15% ou mais. A região atrai moradores em função da revitalização e também por ser aquela com maior percentual de imóveis para alugar, cerca de 40%.”, diz. Yagi acrescenta que o Centro pode ser uma boa opção para quem investe em imóveis para locação, uma vez que a farta oferta deve continuar atraindo novos moradores.

9. Zona Leste – Grupo A
zoom_out_map
9/10 (Divulgação) Variação de preços: 7,1% Bairros que compõem o grupo: Alto da Moóca, Belém, Moóca, Tatuapé. Preço médio do aluguel  do metro quadrado em julho de 2012: R$ 15,42  O grupo que compreende os bairros mais nobres da zona leste, como Tatuapé e Alto da Mooca, teve a menor variação de preços, segundo Yagi, porque a região tem alta oferta de imóveis para locação. “A região tem uma boa oferta e atende a demanda de locação na região, por isso o comportamento do preço do aluguel é mais acomodado”, diz. Ele ressalta, no entanto, que os projetos de melhorias previstos para a região, por causa da Copa de 2014, devem refletir uma alta dos preços em breve. 

10. Veja também
zoom_out_map
10/10 (Divulgação/Imovelweb)