Devo vender meu imóvel para diversificar?

Dono de imóvel comercial milionário depende de aluguéis para viver e quer saber se deve aceitar oferta de venda

Por Editado por Julia Wiltgen

access_time

30 dez 2013, 12h34

Internauta tem filhos pequenos e não quer deixar os ovos todos na mesma cesta (Deepak Malhotra/SXC/)

Dúvida do internauta: Tenho 38 anos, sou casado e pai de três filhos pequenos. A maior parte do meu rendimento provém do aluguel de um imóvel comercial. Recentemente recebi uma oferta de venda de 4,2 milhões de reais. O inquilino atual é bastante sólido e me paga 19.000 reais de aluguel por mês; no entanto, em 2010, este imóvel ficou sem locação por mais de 9 meses, e eu ainda sinto os efeitos dessa vacância. Não seria mais prudente aceitar a oferta e vender este imóvel para diversificar meus investimentos? Se a resposta for afirmativa, me aconselharia a investir 20% desses recursos em Bolsa?

Resposta de Luiz Calado*:

Se você tem filhos pequenos e depende substancialmente da renda do aluguel, minha sugestão é a venda do imóvel. Assim você diminui a concentração do seu risco, o que é fundamental, considerando a sua dependência financeira e a idade dos seus filhos.

Entendo que apesar de seu inquilino ter solidez, a economia não tem e vive em ciclos. Quem diria, há 5 anos, que a Espanha passaria por uma crise dessa? Ou que bancos e empresas tradicionais quebrariam?

Para se defender do risco da incerteza, diversifique a partir da venda do imóvel. Com o dinheiro obtido você poderá continuar no mercado imobiliário, porém de um modo mais equilibrado. Uma das possibilidades é adquirir propriedades que possam ser locadas a mais de um inquilino, diminuindo seu risco da dependência exclusiva. 

Caso queira conhecer outros mercados, diria que o momento é oportuno para adquirir CDBs de bancos médios. Deixe-me explicar melhor: com a intervenção no banco Cruzeiro do Sul, muitos desses bancos aumentaram as taxas de remuneração do CDB. Além disso, o produto é de baixo risco, pois possui uma garantia de até 70.000 reais, mesmo se o banco quebrar.

Finalmente, se você é meu leitor assíduo, deve saber que considero investimento em Bolsa muito arriscado. Levando em conta o fato de que você necessita do rendimento mensal de seus investimentos, penso que 20% seja um percentual muito alto. Seria mais prudente limitar o investimento a 5%, lembrando que eventuais lucros serão quase sempre provenientes do longo prazo e será necessária muita frieza caso o mercado venha a cair. Uma sugestão para pessoas com perfil semelhante ao seu é investir em Fundos de Dividendos, pois se trata de um investimento menos atrelado à valorização das empresas, ou seja, aos humores do mercado.

*Luiz Calado é economista, doutorando em finanças sustentáveis e autor dos livros “Imóveis: seu guia para fazer da compra e venda um grande negócio” e “Fundos de investimento: Conheça antes de investir”.

Dúvidas, observações ou críticas sobre a resposta acima? Deixe seu comentário abaixo!

Envie outras perguntas sobre imóveis para seudinheiro_exame@abril.com.br.