Imóveis anunciados no Baixo Augusta sobem 172% em 5 anos

Região boêmia conhecida pelos “inferninhos” tem excelente localização, atraindo moradores e investidores

Por Julia Wiltgen

access_time

30 dez 2013, 16h48

chat_bubble_outline

more_horiz

Empreendimento da Requadra no Baixo Augusta foi totalmente comercializado em poucas horas
 (Divulgação/)

São Paulo – A região paulistana do Baixo Augusta, conhecida pelos bares, casas noturnas e “inferninhos”, vem vivendo um boom imobiliário e se tornando atraente para os moradores “descolados” de São Paulo. De acordo com o ZAP Imóveis, portal de anúncios imobiliários, o preço dos imóveis anunciados na região subiu 172% de fevereiro de 2008 a abril de 2013.

Na cidade de São Paulo, de janeiro de 2008 a abril de 2013, a variação do preço do metro quadrado anunciado na internet foi de 168,8%, segundo o Índice FipeZap.

De acordo com o ZAP, a região vem sendo bastante procurada por casais sem filhos, solteiros, profissionais liberais, artistas e intelectuais, e mesmo investidores. A localização central, com infraestrutura urbana completa, a grande oferta de transportes e a revitalização de regiões do Centro, como a Praça Roosevelt e a própria Rua Augusta, seriam os fatores que contribuem para essa valorização.

O ZAP cita ainda que, recentemente, dois empreendimentos lançados na região – um da construtora Esser – e outro da Requadra, venderam todas as unidades em apenas algumas horas após o lançamento.

Notícias sobre
Cidades brasileirasGuia de ImóveisImóveisMercado imobiliárioMetrópoles globaisSão Paulo